terça-feira, 28 de julho de 2015

MEMÓRIA DE POÇOS DE CALDAS: É HORA DE RETRIBUIR!


Calma: não vou pedir dinheiro! Só peço que leia até o fim e se sensibilize com o assunto.

Em maio de 2010 criei o projeto MEMÓRIA DE POÇOS DE CALDAS. Em cinco anos foram quase duas postagens por semana, a maioria delas fruto de bastante pesquisa histórica a diversas fontes. A quase totalidade das cerca de 500 postagens têm registros fotográficos importantes.

É um trabalho voluntário, de um "de fora" que adotou mas não necessariamente foi adotado pela cidade, que entrega muito do seu tempo disponível ao chamado ócio criativo ou produtivo.

Ao longo de muitos anos acumulei um bom acervo de imagens, postais, livros e alguns objetos, todos eles integralmente "compartilhados" aqui no MEMÓRIA DE POÇOS DE CALDAS.

Mas, apesar de não parecer, a um cidadão comum esse trabalho tem limites. No já distante 2010, quando apresentei o projeto, destaquei entre seus objetivos: "MEMÓRIA DE POÇOS DE CALDAS pretende reunir em espaço virtual o acervo memorial disperso, possibilitando a socialização desse valioso conteúdo, com livre acesso aos interessados no tema: estudantes, historiadores, jornalistas, educadores, turistas ou simplesmente apaixonados por essa magnífica cidade".

Tenho certeza de que esse lado do projeto vem sendo atingido integralmente -ainda que o "livre acesso" não exclua a gentileza daqueles que "pegam" material no site de citar a fonte. É famosa uma foto de minha autoria, uma vista noturna da cidade a partir do Cristo, no alto da Serra, que teve minha assinatura eliminada, "compartilhada" no Facebook mais de cinco mil vezes!

Outro exemplo: das dezenas de trabalhos acadêmicos que usaram como fonte esse acervo, o site recebeu apenas duas publicações como retorno da oferta gratuita feita aqui, caso das imagens em bom tamanho e definição ou a reprodução de longos textos, os quais digitei para garantir o melhor conteúdo.

Mas uma parte preciosa desse projeto não consigo cumprir: fazer as pessoas participarem efetivamente dessa "socialização". Conto nos dedos os amigos que adotaram essa ideia de encaminharam até mesmo fragmentos importantes da história familiar, compreendendo que são sim parte de um todo -fizeram e fazem a história de Poços de Caldas.

Fotos continuam mofando nas gavetas. Sei de muita coisa boa que foi para o lixo na hora das famílias dividirem os bens dos parentes falecidos; há, ainda, acervos oficiais inacessíveis digitalmente, caso do Museu de Poços de Caldas e suas milhares de imagens arquivadas, cuja consulta só se dá pessoalmente e uma simples cópia duma foto tem um valor impraticável para um serviço voluntário como o que presta o MEMÓRIA DE POÇOS DE CALDAS.

Assim, por maior que seja meu empenho, lamento ver que muito da história da cidade permanece -ou pior, perde-se- em gavetas, arquivos ou coleções pessoais. Fica uma crítica também ao Condephact local, de onde não vejo qualquer movimento em favor da difusão da história da cidade por meio digital; o órgão poderia interceder junto à prefeitura e ao Museu, em favor da digitalização e publicação do material histórico ali guardado.

Falta de recursos não é desculpa -sou, modestamente, a prova de que dá para fazer um trabalho de relevante valor com um computador na mão e algumas ideias na cabeça.

Se você tem acervo guardado, não deixe-o se perder pela ação do tempo. Faça sua parte e divida essa riquíssima história. Meu acervo está todo disponível aqui no site. Poderia estar guardado, mas de que me adiantaria?

Muito obrigado!

Rubens Caruso Jr.
Editor - Memória de Poços de Caldas

2 comentários:

Hiane Oliveira disse...

Parabéns pelo excelente trabalho. Sou aluna do curso de Arquitetura e Urbanismo da Puc, estava procurando material sobre a história de Poços, e tenho certeza que esse site enriqueceu não apenas meu repertório de conhecimento sobre a cidade, mas como o de muitos moradores, estudantes e curiosos sobre o tema, com as informações reunidas ao longo dos seus 5 anos de existência... Isso gera mudanças no modo de lidar com a cidade, socialmente, culturalmente... "urbanisticamente" (no caso dos futuros profissiorais que atuarão nela). Espero que o site se mantenha no ar durante o maior tempo possível, pois o meio digital esta mesmo carente de informações desse tipo. Seguirei sua dica de dividir o que eu encontrar com mais pessoas. Deixo aqui meu sincero agradecimento.

Rubens Caruso Jr. disse...

Hiane, muito obrigado!

Postar um comentário

Memória de Poços de Caldas é um trabalho cultural, sem fins lucrativos, e democrático. Aqueles que quiserem se comunicar diretamente com o autor podem fazê-lo pelo email rubens.caruso@uol.com.br .