sexta-feira, 26 de novembro de 2010

MOGYANA, 221


Memória de Poços de Caldas trouxe da França um raríssimo exemplar da revista La Vie du Rail, publicada em 13 de dezembro de 1953. Trata-se de uma publicação especializada no tema ferroviário,  e essa edição traz como reportagem de capa: "Au Brésil - Le Réseau Mogiana" ou "No Brasil - A Rede Mogiana". Em quatro páginas, M. Dehinzelin conta sua viagem pelo Brasil, "um país com 52 milhões de habitantes, mais que o triplo dos 17 milhões de pessoas de 1900, cuja malha ferroviária, apesar da extensão do país, é menor que a da França".
 
Diz ainda a reportagem que "a Mogiana é uma das mais antigas ferrovias do Brasl, fundada em dezembro de 1872, contando com 2.230 km de linhas servindo o leste e o nordeste do estado de São Paulo e a 'ponta leste' de Minas Gerais", informações passadas -após uma calorosa recepção- ao repórter pelo Superintendente Augusto César de Andrade.
  
"Na direção leste", destaca o texto, "a região montanhosa, a Mogiana atende as estações termais, com suas fontes quentes ou frias, tais como Águas da Prata, Lindóia e, sobretudo, Poços de Caldas, que estão entre as mais famosas e bem administradas do Brasil".
   
Entre outras curiosidades,a  reportagem afirma que "a Mogiana tem 200 locomotivas em operação, sendo 96 norte-americanas, 77 inglesas, seis alemãs e uma belga. Por conta do carvão escasso e de baixa qualidade no Brasil (muito enxôfre), a Mogiana formou plantações de eucalipto para abastecer de combustível suas máquinas a vapor. Entre os 290 vagões, quatro são Pullman, 12 do tipo leito e 12 carros-restaurante, distribuídos entre 1a. e 2.a Classes".
 
"A região atendida pela Mogiana é essencialmente agrícola, sem grandes cidades, mas com aglomerações chamadas 'fazendas', que cultivam café, algodão, arroz, feijão, milho e cana de açúcar, num clima tropical temperado em altitudes que variam de 400 m a 1.200 m", continua a reportagem.
    
Talvez  o mais interessante da aquisição dessa revista veio da avaliação detalhada da foto da capa (acima), provavelmente feita na "Garganta do Inferno", o trecho logo após a estação de Águas da Prata, que antecede a subida da Serra para Poços de Caldas: trata-se da locomotiva número 221, a mesma que aparece na foto abaixo cruzando o "Viaducto", cujos Pilares remanescentes são objeto, por parte deste autor, de insistentes pedidos de preservação, tombamento e transformação em logradouro turístico. Os Pilares ficam próximos da PUC.

Clique nas imagens do Memória de Poços de Caldas para ampliá-las.

2 comentários:

grasiela ventura disse...

muito boa essa iniciativa...eu não tinha visto ainda....as fotos são maravilhosas!!!!!

grasiela ventura disse...

ótima iniciativa...preservar a memória de uma cidade tão linda é muito necessário....as fotos são muito boas parabéns!!!!!

Postar um comentário

Memória de Poços de Caldas é um trabalho cultural, sem fins lucrativos, e democrático. Aqueles que quiserem se comunicar diretamente com o autor podem fazê-lo pelo email rubens.caruso@uol.com.br .