segunda-feira, 16 de abril de 2012

POÇOS NA LINHA: CAMINHADA HISTÓRICA

Foto: Luciana Valin Gonçalves Dias
Aconteceu ontem, domingo, 15 de abril, a Caminhada organizada pelo Movimento Poços na Linha, e que contou com forte presença de estudantes da Escola Criativa Idade.
  
Camisetas com a logomarca do Movimento foram usadas para identificar o grupo, que percorreu a pé ou de bicicleta o trecho entre a Estação Poços de Caldas e o bairro Maria Imaculada. O objetivo era chegar à Estação Bauxita, de modo a cumprir o percurso de cerca de 10 km entre as duas Estações, o que não foi possível por conta do mato logo após a ponte que existe no bairro.
  
Faltou pouco, mas a Caminhada foi um sucesso, servindo para que os participantes conhecessem a beleza e as excelentes condições do trajeto proposto para reativação do ramal ferroviário e a implantação de um Trem Turístico, bem como para sensibilizar a classe política de Poços de Caldas, já que o Movimento vem ganhando adeptos diariamente.
  
Confira nas fotos abaixo alguns dos bons momentos da Caminhada.
 Início da concentração na Estação Poços de Caldas
Crianças com cartazes: "Turismo, cadê o Trem?"
A pé ou de bicicleta
 O início da Caminhada pela Av. J. Pinheiro: muros fecham o leito
 Já na Rua Beira Linha
Participante se encantou com a centenária caixa d´água da Mogyana
 Fotografando a ponte junto ao Presídio 
Comerciantes usam o leito como depósito de sucata, próximo ao Cemitério
 
Uma das Pontes no bairro São Geraldo
1895, ano de produção do trilho na Ponte
 Em busca de detalhes
 Outra ponte, também no São Geraldo
Leito da Ferrovia no bairro Maria Imaculada, após a PUC
Flores na passagem do leito entre as rochas. Foto: Albert Cagnani
Parada para explicação da importância da Garagem de Trole, na Rua Beira Linha
Fotos: Albert Cagnani
Fim da Caminhada: perto da Represa Bortolan, mato alto
 Parte do grupo: alegria ao final da Caminhada

Clique nas imagens do Memória de Poços de Caldas para ampliá-las.
"Povo que não conhece sua história está condenado a repeti-la".

11 comentários:

Angela Caruso disse...

Participar deste grupo tem auxiliado para que eu me sinta um pouco mais adaptada e queira continuar morando nesta cidade.

AnaCristina disse...

nao acredito que eu perdi essa caminhada!!!! chorei

Anônimo disse...

Antes de mais nada, quero parabenizar ao idealizador do projeto na tentativa de reativar estes 10 kilometros da estação de Poços a Bauxita, e dizer que, o progresso das cidades só foi possível através das ferrovias e seus respectivos ramais. Acredito, que o Brasil sendo um país continental, com uma enorme extensão territorial têm que investir pesado em logística, principalmente no modal ferroviário que foi deixado de lado de forma injusta e dando preferência ao modal rodoviário, portanto senhores governantes, senhores prefeitos, chega de congestionamentos em nossas rodovias, chega de tanta poluição, chegou a hora e a vez dos trilhos.Espero que, toda população de Poços, Aguaí, Águas da Prata e São João da Boa Vista e demais localidades por onde o trem da FCA passa, lutem para que, este meio de transporte venha a ser reativado, fazendo com que todas as mencionadas cidades do trecho da ferrovia, possam proporcionar um meio de transporte barato, seguro e romântico a todos os seus moradores, afinal, o Brasil TREM jeito.Em síntese, salvem o ramal de Poços de Caldas, esta ferrovia não pode morrer.
Celso Franco - Bragança Pta. SP
ceframor@hotmail.com

felipe de americana sp disse...

quanto tempo durou o passeio?
avise a imprensa de Campinas muito provavelmente ela comparecerá da próxima vez!( jornal Correio Popular, tv. Band Campinas e EPTV Campinas ( a record só mostra sangue e tiro )...

Uma sugestão entre no blogue da Perus Pirapora e bábe com as iniciativas incluíndo festa junina.

Rubens Caruso Jr. disse...

Felipe, deu um pouco menos de duas horas, respeitando o ritmo da criançada. Obrigado e um abraço!

Denis W. Esteves disse...

Caruso,
Parabéns à todos vocês por essa bela mobilização em defesa do Patrimônio Ferroviário de Poços de Caldas. Infelizmente vemos que os dirigentes de Poços não estão à altura do interesse público e dos anseios da população.
Abraços.

Rubens Caruso Jr. disse...

Vão ficar, Denis, vão ficar. Um abraço.

Vonena disse...

Estou de acordo com o anonimo aí de cima.Fiz muitas vezes a viajem de trem entre S.Paulo e Poços de Caldas nas ferias de minha infancia(1945) e depois as ferias de meus filhos já nos anos 60.Ficavamos no bairro Cascata, na divisa SPaulo-Minas.Usava muito o trem para ir à Poços fazer compras.Naquela epoca era a unica condução fora o carro da familia. O melhor era ficar na porta da cozinha dando adeus e acenar para os passageiros, e vê-los retribuindo Foi uma epoca maravilhosa, e uma grande pena que nossas crianças ,hoje poucas vezes terão a felicidade de compartilhar Bons tempos aqueles, dá uma saudade imensa!!!!!!

Fernando D'Angelo (Cascata) disse...

Tive a felicidade de realizar algumas viagens entre Aguas da Prata e Poços de Caldas (vice-versa) e tambem fiz o ultimo passeio no trem turistico quando foi reativado ha muitos anos atrás. Até hoje me alegro ao ver os trens de carga que ainda rodam até Bauxita. É uma enorme tristeza ver a estação de Cascata abandonada e saber que quase foi demolida. Isso seria um verdadeiro crime contra o patrimônio histórico.
Espero muito poder realizar essa. viagem novamente.

Mauricio Barros disse...

O movimento tem algum contato e-mail,site,blog?

Rubens Caruso Jr. disse...

Maurício Barros, acompanhe-nos pelo Facebook em POÇOS NA LINHA.

Obrigado!

Postar um comentário

Memória de Poços de Caldas é um trabalho cultural, sem fins lucrativos, e democrático. Aqueles que quiserem se comunicar diretamente com o autor podem fazê-lo pelo email rubens.caruso@uol.com.br .