sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O CADEADO DA MOGYANA – APARECEU A CHAVE!

Um dos grandes prazeres do jornalismo é a reportagem: levantar uma hipótese, um questionamento, procurar as respostas, ouvir pessoas. 
      
Em recente entrevista à TvPlan, disse o secretário de turismo de Poços de Caldas, o jornalista José Carlos Polli: "Embora é o seguinte: o Caruso fica falando que a gente fica dando a volta, entrando com veículo lá, mas como é que eu vou entrar se “eles” fecharam o portão lá? O proprietário do posto, viu, Caruso, ele meteu um portão e meteu um cadeado lá. Acho que ele tá ferindo mais o patrimônio que nós que estávamos entrando pela plataforma. Se abrir, tirar o cadeado, abrir o portão, se os veículos necessitarem entrar –lá entrava o trem, um carrinho Uno não vai fazer tanto estrago; onde passava locomotiva, os trem, os vagão tudo carregado, então um Uno não vai fazer muita... né? É o Uno da secretaria que entra ali, a gente guarda lá atrás". 
   
Movido pelas palavras do secretário, Memória de Poços de Caldas foi em busca da resposta à seguinte questão: onde estaria a chave desse famigerado cadeado, que tantos problemas têm causado a ele? Não foram precisos mais do que três minutos de conversas na Estação (sede da secretaria de turismo) com alguns servidores da prefeitura para descobrir que a chave estava lá mesmo, e que o portão é aberto diariamente para a entrada e saída dos carrinhos de lixo que ficam estacionados nos fundos da Estação -outro erro já apontado por este site- conforme atestam as fotos abaixo, feitas hoje (24/2), na hora do almoço.
Claro que o intuito dessa busca foi ajudar o secretário a se livrar desse problema complicadíssimo, retribuindo o apoio especialmente pelo fato de que ele é um recente aliado nessa empreitada pela preservação da Estação. Na mesma entrevista ele disse, a respeito da presença de um impensável caminhão de asfalto da prefeitura na Plataforma do patrimônio histórico tombado: “o caminhão entrou lá porque o portão tá fechado. Se abrir o portão o caminhão entra por lá. E foi só pra descarregar o material e saiu imediatamente. Agora, não é local pra entrar caminhão".
   
Missão cumprida. Memória de Poços de Caldas "achou" a chave, resta agora aos responsáveis fecharem de vez a passagem de veículos sobre a Plataforma da Estação. Lá, definitivamente, "não é local pra entrar caminhão”, nem o “carrinho Uno”, nem a Kombi, nem o outro Uno, nem o Gol. Combinado?
  
Clique nas imagens do Memória de Poços de Caldas para ampliá-las.
"Povo que não conhece sua história está condenado a repeti-la".

2 comentários:

Alex Leão disse...

Há que se lembrar ao secretário, a despeito de seu comentário de que "lá passava o trem, um carrinho UNO não vai fazer diferença" (ou coisa que o valha) que o trem NÃO passava sobre a plataforma e sim ao lado dela. Sobre a valiosa plataforma da estação Mogiana (e não FEPASA como alguns gostam de chamá-la) só deve passar PESSOAS e olhe lá!

AnaCristina disse...

rsrs

Postar um comentário

Memória de Poços de Caldas é um trabalho cultural, sem fins lucrativos, e democrático. Aqueles que quiserem se comunicar diretamente com o autor podem fazê-lo pelo email rubens.caruso@uol.com.br .